domingo, 31 de agosto de 2014

Insegurança de Artur marcou o dérbi de Lisboa

Benfica vs Sporting (REUTERS)

SL BENFICA 1-1 SPORTING CP
(Nicolás Gaitán 11'; Islam Slimani 19')

Hoje, no Estádio da Luz, Benfica e Sporting CP empataram 1-1 e deram "em bandeja de ouro" a liderança do campeonato português ao FC Porto, que ganhou 3-0 ao Moreirense. O destaque do dérbi de Lisboa vai, claramente, para a insegurança demonstrada por Artur Moraes, o regresso de Slimani aos golos e a boa exibição da equipa de arbitragem liderada por Pedro Proença.   


GOLOS

11' - SL BENFICA: Golo de Nicolás Gaitán - Toto Salvio executou bem pelo lado direito, onde apareceu o uruguaio Maxi Pereira a assistir o extremo argentino, que rematou de pé direito para o fundo das redes de Rui Patrício, que ainda tocou na bola. Estava feito o 1-0.   

19' - SPORTING CP: Golo de Islam Slimani - Depois de um passe de Eliseu para Artur Moraes, o guardião brasileiro alivia bola, mas esta bate nas costas de André Carrillo e sobra para o avançado internacional argelino que cabeceia com a baliza "escancarada", fazendo o 1-1 final.   


DESTAQUES

Artur Moraes - O fantasma de Júlio César coloca o guarda-redes brasileiro num estado de insegurança. 

Enzo Pérez - Poderá ter feito o último jogo de despedida no Estádio da Luz.  

Lima - Já não é avançado para o Benfica. 

Anderson Talisca - Este "pseudo-jogador" não fez, literalmente, nada em campo. 

Nicolás Gaitán - Do lado benfiquista foi dos poucos que agitou o jogo.  

Rui Patrício - Teve um pouco de culpa no golo sofrido, mas fechou a baliza " a sete chaves" na segunda parte.  

Maurício/Naby Sarr - Esta dupla promete dar que falar e muito no campeonato português.  

André Carrillo - O extremo peruano também conseguiu mexer com o jogo. 

Nani - Teve alguns lances de qualidade durante o jogo. 

Islam Slimani - O avançado argelino voltou aos golos e está de corpo e alma no Sporting CP.  



Homem do jogo da parte do SL Benfica: Nicolás Gaitán  
Homem do jogo da parte do Sporting CP: Islam Slimani 

Lapidar - #13


Francisco Chaló: «Mais um rombo no porta-aviões»

Qual é a vossa opinião acerca desta frase proferida pelo atual técnico do Sporting da Covilhã, na época passada, quando se referiu à má arbitragem durante o jogo entre o Sp.Covilhã e o Portimonense, que terminou empatado 1-1? Comentem. 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Grandes Lendas: Juan Pablo Ángel


Foi um dos melhores pontas-de-lança colombianos que passaram pelo futebol inglês, no geral, e pelo Aston Villa, em particular. Tinha um enorme faro pelo golo e era a estrela maior de um seleção colombiana que não tinha o talento que tem atualmente. O seu nome é Juan Pablo Ángel.     


INÍCIO NO ATLÉTICO NACIONAL 
Juan Pablo Ángel Arango nasceu no dia 24 de Outubro de 1975 na cidade colombiana de Bogotá - capital da Colômbia. O jovem Juan Pablo começou dar nas vistas no Atlético Nacional, onde privou com jogadores como, por exemplo, René Higuita, Carlos Zuñiga, Andrés Escobar, Gabriel Gómez, Omar Franco ou Juan Carlos Quintero. Na primeira passagem pelo Atlético Nacional, Juan Pablo Ángel conquistou 1 Campeonato Apertura colombiano e 1 Campeonato colombiano. Permaneceu cinco temporadas consecutivas no Atlético Nacional (1993, 1994, 1995, 1995/1996, 1996/1997).      










MUDANÇA PARA BUENOS AIRES 
Depois de dar nas vistas no Atlético Nacional, Juan Pablo Ángel, na época 1997/1998, mudou-se para a Argentina para assinar pelo River Plate, onde jogou ao lado de grandes nomes como, por exemplo, Marcelo Gallardo, Enzo Francescoli, Marcelo Salas, Javier Saviola, Pablo Aimar, Juan Pablo Sorín, Diego Placente, Mario Yepes ou Andrés D'Alessandro. Como jogador do River Plate, Juan Pablo Ángel realizou, na totalidade, 25 jogos e marcou 16 golos no país das pampas, tendo conquistado 1 Campeonato Clausura argentino e 2 Campeonatos Apertura argentinos. As suas exibições convenceram inúmeros clubes europeus a tentarem contratarem-no. Ficou no Monumental de Nuñez durante quatro temporadas e meia (1997/1998, 1998/1999, 1999/2000, 2000/2001).  







GRANDE ESTRELA NO VILLA PARK 
A meio da temporada 2000/2001, Juan Pablo Ángel trocou o continente sul-americano pelo europeu e o River Plate pelo Aston Villa. No Villa Park, o goleador colombiano jogou ao lado de nomes como, por exemplo, Gareth Southgate, Peter Schmeichel, Thomas Hitzlsperger, Gareth Barry, Marcus Allbäck, Milan Baros ou Eric Djemba-Djemba. Para além de se ter tornado num grande ídolo no Aston Villa, Juan Pablo Ángel jogou, no total, 202 jogos e marcou cerca de 60 golos pela equipa britânica. Juan Pablo Ángel ficou no Villa Park durante sete temporadas consecutivas (2000/2001, 2001/2002, 2002/2003, 2003/2004, 2004/2005, 2005/2006, 2006/2007).










"PRÉ-REFORMA" NOS EUA 
Depois de se ter tornado numa figura de destaque no Aston Villa, Juan Pablo Ángel mudou para os Estados Unidos da América, onde assinou contrato com os New York Red Bulls. Nos Red Bulls, o avançado caffetero foi colega de jogadores como, por exemplo, Dema Kovalenko, Jozy Altidore, Juan Martín Pietravallo ou Caleb. Ao serviço dos New York Red Bulls, Juan Pablo Ángel jogou, na totalidade, 69 jogos e marcou 36 golos na MLS. Em 2011, Juan Pablo Ángel assinou pelos Los Angeles Galaxy onde jogou, na totalidade, 22 jogos e apontou, apenas, 3 golos, tendo ganho 1 Campeonato norte-americano. A meio de 2011, o avançado colombiano chegou ao Chivas e jogou, no total, 26 partidas e marcou 10 golos em "terras do Tio Sam".






REGRESSO A "CASA"
No ano de 2013, Juan Pablo Ángel abandonou o Chivas USA e decidiu regressar ao seu país natal - a Colômbia - onde assinou contrato com o Atlético Nacional, onde jogou ao lado de nomes como, por exemplo, Franco Armani, Luis Mosquera, Juan Valencia ou Diego Peralta. Ao serviço do Atlético Nacional, desde o início da carreira até agora, o avançado caffetero realizou, na totalidade, 38 jogos e marcou
12 golos. Atualmente, com 38 anos, Juan Pablo Ángel continua ligado contratualmente aos colombianos do Atlético Nacional.











ESTRELA NA SELEÇÃO 
No que diz respeito à Seleção da Colômbia, Juan Pablo Ángel registou 33 internacionalizações e marcou, apenas, 9 golos pela seleção caffetera. Ao serviço da Seleção da Colômbia, Juan Pablo Ángel marcou presença nas fases de qualificação para os Campeonatos do Mundo de 2002 (Coreia do Sul/Japão) e de 2006 (Alemanha).













Qual é a vossa opinião acerca deste grande jogador? Juan Pablo Ángel terá um sucessor à altura na Seleção da Colômbia? Comentem.    

Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Ezequiel Garay: "Confio na vitória"; Ronaldo faz o pleno; Rúben acerta renovação.  

   

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Craques da 1ª Liga: Rafael Lopes


Considerado por muitos como uma jovem promessa portuguesa, este jogador sagrou-se Vice-Campeão do Mundo de Sub-20, em 2011, mas já passou por alguns clubes sem sucesso. Caros leitores, apresento-vos o ponta-de-lança português Rafael Lopes.  


DO ESPOSENDE PARA O VARZIM 
Rafael Guimarães Lopes nasceu no dia 28 de Julho de 1991 em Esposende e começou a sua carreira no clube da sua cidade natal - a Associação Desportiva de Esposende. Depois de brilhar nas camadas jovens do Esposende, Rafael Lopes foi para o Varzim, onde integrou as camadas jovens do clube nortenho. Na temporada 2010/2011, Rafael Lopes chegou à equipa principal do Varzim, onde privou com nomes como, por exemplo, Avelino, Luís Neto, Tiago Lopes, André André, Tiago Terroso, Salvador Agra ou Forbes. Pela equipa principal do Varzim, Rafael Lopes jogou, na totalidade, 27 jogos e apontou 10 golos. 










PASSAGEM PELO SADO
Na temporada 2011/2012, depois de brilhar com a camisola do Varzim, Rafael Lopes rumou até à cidade de Setúbal para assinar contrato com o Vitória de Setúbal, onde partilhou o balneário com jogadores como, por exemplo, Diego, Ricardo, Peter Suswam, Rúben Vezo, Hugo Leal, Alex Zahavi, Miguel Fidalgo, Meyong ou Tiago Targino, tendo sido treinado pelos técnicos Bruno Ribeiro, primeiro, e José Mota, depois. Ao serviço do Vitória de Setúbal, Rafael Lopes jogou, no total, 24 jogos e marcou, apenas, 3 golos pelos "sadinos".       












CHEGADA AO MOREIRENSE  
Na época seguinte, em 2012/2013, Rafael Lopes saiu do Vitória de Setúbal e rumou até a Moreira de Cónegos para representar o Moreirense, onde jogou com futebolistas como, por exemplo, Ricardo Ribeiro, Ricardo Pessoa, Aníbal Capela, Tijani Belaïd, Jorge Chula, Pablo Olivera, Nabil Ghilas ou Wagner, tendo sido treinado, primeiro, por Jorge Casquilha e, depois, por Augusto Inácio. Como jogador do Moreirense, Rafael Lopes realizou, na totalidade, 21 partidas e não marcou qualquer golo pela "turma" de Moreira de Cónegos. 











DE PENAFIEL PARA COIMBRA 
Na temporada passada, em 2013/2014, Rafael Lopes mudou-se para Penafiel para representar o clube local, onde jogou com jogadores como, por exemplo, Nuno Santos, Fábio Ervões, Dani Coelho, Gabi, Vítor Bruno, Mauro Caballero, Aldair, Paulo Roberto ou Mbala. Ao serviço do Penafiel, Rafael Lopes jogou, no total, 23 jogos e marcou 9 golos pela equipa do Penafiel, que foi treinada por Miguel Leal. Depois de dar nas vistas no Penafiel, Rafael Lopes, a meio da época 2013/2014, assinou contrato com a Académica, onde jogou ao lado de jogadores como, por exemplo, Ricardo, Romuald Peiser, Halliche, João Real, John Ogu, Fernando Alexandre, Marinho ou Diogo Valente. Ao serviço dos "estudantes", Rafael Lopes jogou, na totalidade, 12 jogos e não marcou qualquer golo.








PERMANÊNCIA EM COIMBRA
Na época atual, em 2014/2015, Rafael Lopes continua como jogador da Académica de Coimbra, onde joga ao lado de novos jogadores como, por exemplo, o peruano Olascuaga, o português Rui Pedro, o brasileiro Schumacher, o também brasileiro Lino ou o ganês Richard Ofori, sendo treinado por Paulo Sérgio, antigo de treinador de Sporting CP, Hearts, Cluj e APOEL Nicósia. Nesta nova temporada, Rafael Lopes é uma peça importante do onze titular da Briosa e regista, até ao momento, 2 jogos disputados e, apenas, 1 golo marcado, logo na primeira jornada frente ao Sporting CP.











CRAQUE NA SELEÇÃO 
Pelas camadas jovens da Seleção de Portugal, Rafael Lopes notabilizou-se mais ao serviço da Seleção Sub-20 de Portugal, em 2011, no Campeonato do Mundo de Sub-20, realizado na Colômbia, onde Portugal chegou à final e perdeu com o favorito Brasil onde alinhavam... Alex Sandro e Danilo. Rafael Lopes é mais uma jovem promessa portuguesa que poderá dar jeito à Seleção de Portugal que precisa de muito "sangue novo", depois do desastre do Mundial'2014, realizado no Brasil.  
 

 

 


      
 
       


Qual é a vossa opinião acerca deste jogador? Rafael Lopes tem qualidade para chegar a um dos "três grandes"? Poderá ser o goleador que tem faltado à Seleção Nacional? Comentem.   

Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Sacko por 5 anos; Cristiano Ronaldo: "Espero que Nani volte a ser de top"; Brahimi: "Treino as fintas desde miúdo".

   

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Sp.Covilhã e Olhanense empatam num jogo de muitas emoções e incertezas


SP.COVILHÃ 3-3 OLHANENSE
(Tatui 2', Traquina 62' e Erivelto 82'; Semedo 53', Aguilar 71' e Regula 74')


Hoje, no Estádio Municipal José Santos Pinto, o Sporting da Covilhã recebeu o Olhanense, mas o jogo acabou empatado 3-3. O destaque desta partida vai, claramente, para boa exibição realizada pela equipa treinada por Francisco Chaló e para o jogo repartido das duas equipas esta tarde na Serra da Estrela.     


GOLOS

2' - SP.COVILHÃ: Golo de Tatui - Na marcação de um livre direto, em frente à baliza do Olhanense, o médio brasileiro Tatui rematou a bola para o fundo das redes do guarda-redes português Tiago Maia. Estava feito o 1-0. 

53' - OLHANENSE: Golo de Sérgio Semedo - Depois do intervalo, Olhanense marcou na baliza de Taborda por intermédio do português Semedo, num lance onde o Sp.Covilhã ficou a ver o jogador algarvio a rematar para a baliza "serrana", fazendo o 1-1. 

62' - SP.COVILHÃ: Golo de João Traquina - O ex-jogador do Sertanense entrou pelo lado esquerdo da defesa do Olhanense e rematou um remate fortíssimo para a baliza de Tiago Maia, acabando por colocar o resultado em 2-1. 

71' - OLHANENSE: Golo de Jorman Aguilar - Perante uma defesa "serrana" muito permissiva, o médio do Panamá acabou por restabelecer o empate, colocando o resultado em 2-2 para o Olhanense.  

74' - OLHANENSE: Golo de Paulo Regula - Passados três minutos, Paulo Regula aproveita, da melhor maneira, um erro da defesa do Sporting da Covilhã e coloca o Olhanense em vantagem por 2-3. 

82' - SP.COVILHÃ: Golo de Erivelto - Acabado de entrar para o lugar do veterano Edgar, Erivelto, na marcação de um livre direto, colocou a bola dentro da baliza do Olhanense, pondo o resultado final em 3-3. 


DESTAQUES

Taborda - Não teve qualquer culpa nos três golos sofridos.    

Tatui - O médio brasileiro assume-se, cada vez mais, como a grande estrela da equipa serrana.       

Bilel - Foi sempre uma "dor de cabeça" para a defesa do Olhanense.

Erivelto - O joker lançado por Francisco Chaló surtiu o efeito desejado no jogo.    

Paulo Regula - É o único jogador com qualidade na equipa do Olhanense. 

Tiago Maia - É dos piores guarda-redes da Segunda Liga. Muito fraco. 



Homem do jogo da parte do Sp.Covilhã: Tatui 
Homem do jogo da parte do Olhanense: Paulo Regula        

Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Enzo no dérbi; Slimani na calha para a Luz; Agarra que vale milhões.   

  

terça-feira, 26 de agosto de 2014

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

domingo, 24 de agosto de 2014

Benfica vence o Boavista com uma vitória arrancada a ferros

Boavista VS Benfica (Lusa)

BOAVISTA 0-1 SL BENFICA
(Eliseu 44')

Hoje, no Estádio do Bessa, o Benfica derrotou o Boavista, em relvado sintético, por 1-0, mantendo as 
águias na luta pelo título, a par de FC Porto e Sporting CP. O destaque desta partida vai, claramente, para o golo marcado pelo lateral-esquerdo português Eliseu, que veio dos espanhóis do Málaga. 


GOLOS

44' - SL BENFICA: Golo de Eliseu - Depois da marcação de um livre, em jeito de canto curto, Anderson Talisca passa a bola para André Almeida, que acaba por assistir o veterano Eliseu. O ex-Málaga remata um remate fortíssimo, de fora da área, para o segundo poste, deixando o argentino Daniel Monllor completamente batido. Estava feito o 0-1 final.     


DESTAQUES

Daniel Monllor - Defendeu tudo o que podia, mas não conseguiu parar a "bomba" de Eliseu. Esteve muito mal nesse lance. 

Eliseu - O gordo lá marcou um golo e justificou o investimento feito.     

Artur Moraes - O guarda-redes brasileiro esteve bem no jogo e eu deixo a pergunta: para quê o Júlio César?   

Rúben Amorim - Lesionou-se ainda na primeira parte e ficará em dúvida para os próximos jogos do Benfica.  



Homem do jogo da parte do Boavista: Daniel Monllor 
Homem do jogo da parte do SL Benfica: Eliseu    

Lapidar - #12


Filipe Moreira: «Eu devo ter um cu muito pequenino»

Qual é a vossa opinião acerca desta frase dita por Filipe Moreira, na época 2012/2013, quando treinava o Sporting da Covilhã, depois de perder o jogo frente à Académica, para a Taça da Liga, nas grandes penalidades? Comentem.  

Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Mané salva Nani; Do fundo da alma; Julen Lopetegui: "Jackson passou a fatura".  

  

sábado, 23 de agosto de 2014

Carlos Mané abate o autocarro do Arouca na estreia de Nani

Sporting vs Arouca (Lusa)

SPORTING CP 1-0 AROUCA
(Carlos Mané 90+2')

Hoje, no Estádio de Alvalade, o Sporting CP sofreu para conseguir derrotar o Arouca, que estacionou o autocarro à frente da baliza. O destaque desta partida vai para o regresso de Nani, o penalti falhado por Nani, a boa exibição de Goicoechea e para o golo "à saca-rolhas" de Carlos Mané. 


GOLOS

90+2' - SPORTING CP: Golo de Carlos Mané - André Carrillo ganha aos defesas do Arouca, cruza para a grande área da equipa nortenha, Tanaka cabeceia a bola ao poste da baliza de Goicoechea, mas o jovem Carlos Mané, na recarga, atira para o fundo das redes do Arouca. Estava feito o 1-0. 


DESTAQUES

Carlos Mané - O golo do jovem atacante serviu de "saca-rolhas" da vitória "leonina".  

Nani - Teve um regresso um pouco azarado com o penalti falhado, mas tentou levar o Sporting CP para a frente. 

Naby Sarr - Este menino cada vez mais me surpreende em campo. Um patrão na defesa "leonina", a par do Maurício. 

Rui Patrício - Teve pouco trabalho pela frente, limitando-se a defender o que lhe aparecia à frente. 

Goicoechea - Este guarda-redes defendeu quase tudo, mas faltaram-lhe forças para negar o golo ao Carlos Mané.   

Arouca - Equipas como o Arouca deviam de andar pela Segunda Liga, pois só sabem jogar à defesa e raramente atacam.  



Homem do jogo da parte do Sporting CP: Carlos Mané  
Homem do jogo da parte do Arouca: Goicoechea

Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Benfica e FC Porto lutam por Hernández; Noite de Nani; Quaresma virou filme. 

  

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Grandes Lendas: Mário Jardel



Foi o melhor ponta-de-lança brasileiro que passou pelo futebol português onde se tornou uma imagem aterrorizante para as equipas adversárias. Acusado, pelos adeptos rivais, de "mergulhar" na grande área, este magnífico jogador foi sempre um alvo a abater por todas as equipas (ou pelos para tentar abatê-lo). O seu nome é Mário Jardel.  


INÍCIO NO VASCO DA GAMA  
Mário Jardel de Almeida Ribeiro nasceu no dia 18 de Setembro de 1973 na cidade brasileira de Fortaleza, sendo irmão de George Jardel e de Júnior. Mário Jardel começou a sua grande aventura no mundo do futebol no Vasco da Gama, onde privou com nomes como, por exemplo, Roberto Gaúcho, Bebeto, Alexandre Lopes, Ricardo Rocha ou Preto Casagrande. Ao serviço do clube brasileiro, Mário Jardel jogou, na totalidade, 50 jogos e apontou 26 golos, tendo conquistado 3 Campeonatos Cariocas. Permaneceu no Vasco da Gama durante cinco épocas e meia (1991, 1992, 1993, 1994, 1995).  










CONTINUAÇÃO NO GRÉMIO 
Depois sair, a meio da época de 1995, do Vasco da Gama, Mário Jardel rumou até à cidade brasileira de Porto Alegre para assinar contrato com Grémio de Porto Alegre. No clube azul e preto, Mário Jardel jogou ao lado de jogadores como, por exemplo, os paraguaios Chiqui Arce e Catalino Rivarola, Manoel Tobias ou Emerson, tendo sido treinado por Luiz Felipe Scolari. Ao serviço do Grémio de Porto Alegre, Mário Jardel realizou, na totalidade, 88 jogos e marcou 79 golos, tendo ganho 2 Campeonatos Gaúchos, 1 Campeonato brasileiro, 1 Recopa Sudamericana e 1 Copa Libertadores. Super Mário ficou no Grémio apenas duas épocas e meia (1995, 1996).










ÍDOLO NO FC PORTO 
A meio da temporada 1996/1997, Mário Jardel saiu do Brasil e veio para Portugal, onde rubricou um contrato com o FC Porto. No Estádio das Antas, Jardel partilhou o balneário com grandes futebolistas como, por exemplo, Bino, Paulinho Santos, Domingos Paciência, Sérgio Conceição, Zlatko Zahovic, António Folha, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Vítor Baía, Argel, Emílio Peixe, Miklos Fehér ou Nuno Capucho. Como jogador do FC Porto, Mário Jardel disputou, na totalidade, 175 jogos e apontou 168 golos, tendo conquistado 3 Campeonatos portugueses, 2 Taças de Portugal 3 Supertaças de Portugal. Ficou no FC Porto durante quatro épocas consecutivas (1996/1997, 1997/1998, 1998/1999, 1999/2000).  
       






PASSAGEM CURTA PELA TURQUIA
Depois de dar nas vistas ao serviço do FC Porto, Mário Jardel, na época 2000/2001, abandonou as Antas e rumou até à Turquia, onde assinou pelo Galatasaray. No clube turco, Super Mário jogou ao lado de nomes como, por exemplo, Cláudio Taffarel, Gheorghe Hagi, Emre, Gica Popescu ou Andrés Fleurquin. Ao serviço do Galatasaray, Mário Jardel realizou 43 partidas e marcou 34 golos, acabando por conquistar a Supertaça Europeia pelo clube turco.












REGRESSO A PORTUGAL  
Na temporada 2001/2002, Mário Jardel saiu do Galatasaray e regressou a Portugal para assinar pelo Sporting Clube de Portugal, onde privou com futebolistas de alto nível como, por exemplo, Phil Babb, Facundo Quiroga, Paulo Bento, Hugo Viana, Quaresma, César Prates, Toñito, Cristiano Ronaldo, Pablo Contreras ou João Vieira Pinto. Ao serviço do Sporting CP, Mário Jardel jogou, no total, 62 jogos e marcou 67 golos, tendo ganho 1 Campeonato português, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça de Portugal. Permaneceu em Alvalade durante de duas épocas (2001/2002, 2002/2003).










DE INGLATERRA PARA A ARGENTINA
Depois de brilhar, outra vez, em Portugal, Mário Jardel rumou até Terras de Sua Majestade para assinar contrato com o Bolton Wanderers, onde privou com jogadores como, por exemplo, Nicky Hunt, Youri Djorkaeff, Jay-Jay Okocha, Gary Speed, Ricardo Vaz Tê, Javi Moreno ou Iván Campo. Como jogador do Bolton, Mário Jardel realizou 12 jogos e apontou, apenas, 3 golos. A meio da época 2003/2004, Mário Jardel abandonou Inglaterra e rumou até Itália para assinar pelo modesto clube italiano Ancona. No Ancona, Super Mário foi colega de jogadores como, por exemplo, Luis Helguera, Magnus Hedman, Goran Pandev, Fábio Bilica, Bruce Dombolo ou Dino Baggio. Ao serviço do Ancona, Mário Jardel jogou, na totalidade, 3 jogos e não marcou qualquer golo por aquele modesto clube italiano. Na temporada seguinte, em 2004/2005, Mário Jardel viajou para a Argentina, onde assinou contrato com o Newell's Old Boys e onde foi colega de equipa de jogadores de futebol como, por exemplo, o guarda-redes paraguaio Justo Villar, Ariel Ortega, Fernando Belluschi, César González ou Ignacio Scocco. Pelo Newell's Old Boys, Mário Jardel jogou, na totalidade, 3 partidas e não apontou qualquer golo, tendo conquistado um Campeonato Apertura argentino.



REGRESSO AO BRASIL E A PORTUGAL  
Em 2005, Mário Jardel decidiu regressar ao seu país natal - o Brasil -  para tentar a sorte no modesto clube brasileiro Góias. No Góias, Super Mário partilhou balneário com jogadores desconhecidos como, por exemplo, André Dias ou Válber. Ao serviço do Góias, Jardel disputou, no total, 4 jogos e apontou, apenas, 1 golo e não conquistou nenhum título no Brasil. Permaneceu no Góias durante duas épocas (2005, 2006). Na época 2006/2007, Mário Jardel decidiu regressar, pela terceira vez, a Portugal, mas agora para assinar contrato com o Beira-Mar. Em Aveiro, Jardel partilhou balneário com futebolista como, por exemplo, Todor Angelov, Buba, Antonlín Alcaráz, André Leão, Roma, Matheus ou Andrija Delibasic. Pelo Beira-Mar, Jardel jogou, na totalidade, 13 jogos e apontou, apenas, 4 golos.







PRÓXIMAS PARAGENS: CHIPRE E AUSTRÁLIA   
A meio da temporada 2006/2007, Mário Jardel saiu de Portugal e rumou até ao Chipre, onde rubricou um contrato com o Anorthosis Famagusta. No clube cipriota, Mário Jardel privou com nomes como, por exemplo, o ruandês Hamad Ndikumana, o brasileiro Fabinho ou o albanês Arjan Beqaj. Ao serviço do Anorthosis, Jardel jogou, na totalidade, 7 partidas e marcou, apenas, 2 golos em solo cipriota, tendo ganho 1 Taça do Chipre. Na época seguinte, em 2007/2008, Jardel voltou a emigrar mas desta vez foi para a Austrália, onde assinou pelo Newcastle United Jets. No Newcastle Jets, Jardel realizou, no total, 11 jogos e não marcou nenhum golo, tendo ganho 1 Liga australiana.








DECLÍNIO DA CARREIRA
A partir do ano de 2008, Mário Jardel viu a sua carreira de futebolista começar a entrar em declínio. No mesmo ano de 2008, Super Mário regressou ao Brasil e assinou contrato com o Criciúma, onde partilhou o balneário com nomes como, por exemplo, Miguel Lavié, Cláudio Luiz,  Eder Ceccon ou Jean Coral. Ao serviço do Criciúma, Mário Jardel jogou, no total, 17 jogos e marcou, apenas, 3 golos e não conquistou nenhum troféu. Em 2009, Mário Jardel abandonou o Criciúma e acabou por rumar até ao modesto Ferroviário, onde privou com jogadores desconhecidos como, por exemplo, Cleiton Cearense, Tiago Gasparetto, Victor Cearense, Júnior Mineiro, Robson Simplício, Willer Souza, Carlos Roberto ou Felipe Espada. Como jogador do modesto clube brasileiro Ferroviário, Mário Jardel realizou, na totalidade, 6 jogos e apontou 5 golos. A meio do ano de 2009, Super Mário saiu do Ferroviário e, desta vez, assinou contrato com o também modesto América-CE, onde jogou ao lado jogadores como, por exemplo, Glaybson, Dico, Júnior Jardel, Jackson ou Rafamar. Enquanto jogou no América-CE, Mário Jardel disputou, na totalidade, 11 jogos e marcou 8 golos. Depois de tentar brilhar no América-CE, Mário Jardel abandonou o clube brasileiro e assinou contrato com o Flamengo-PI, onde foi colega de jogadores como, por exemplo, Rafael Souza, Neto Bolacha, Isael Brandão, Michel Dennis ou Leandro Porto. Ao serviço do Flamengo-PI, Jardel jogou, no total, 16 jogos e marcou 12 golos.


PONTO FINAL NA BULGÁRIA   
Na temporada 2010/2011, Mário Jardel regressou à Europa e foi para a Bulgária, onde assinou um contrato com o Cherno More, onde privou com jogadores de futebol como, por exemplo, Ademar Junior, Marco Tiago, Daniil Ratnikov ou Rosen Kolev. Ao serviço dos búlgaros do Cherno More, Mário Jardel jogou, na totalidade, 8 jogos e apontou, apenas, 1 golo em solo búlgaro. Na Bulgária, Mário Jardel decidiu colocar um ponto final numa carreira de futebolista brilhante.


 
                           
 

         




POUCO DECISIVO NO "ESCRETE" 
Se ao nível de clubes, Mário Jardel conseguiu ter um rendimento algo interessante, no que diz respeito à Seleção do Brasil, o Super Mário nunca conseguiu demonstrar todo o seu talento que demonstrou nos clubes por onde passou, no início da carreira. Mário Jardel registou 9 internacionalizações e apontou, apenas, 1 golo. Super Mário marcou presença na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2002 (Coreia do Sul/Japão), Copa América de 2001 e conquistou o Mundial de Sub-20 de 1993.

Atualmente, com 40 anos, Mário Jardel enfrenta os seus "fantasmas" do passado relacionados com a droga e já tentou a sua carreira como treinador de futebol, nomeadamente em Portugal.







Qual é a vossa opinião acerca deste grande jogador? Mário Jardel terá algum sucessor altura, para além do Alan Kardec como diziam os comentadores? Comentem.