segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O que é feito de... Matías Fernández


É um dos melhores "10" que passaram pelo nosso futebol português e ainda passou pelo exigente futebol espanhol. Dono de uma excelente capacidade de finalização, este grande jogador possui também uma enorme visão de jogo e uma grande capacidade de passe, bem como um excelente remate de longa distância e é um grande marcador de livres diretos e de grandes penalidades. Chileno, este futebolista também é uma das grandes figuras da sua seleção, sendo uma peça imprescindível. Conhecido por Matigol, o seu nome é Matías Fernández. 


INÍCIO NO COLO-COLO 
Nascido no dia 15 de Maio de 1986, na cidade argentina de Buenos Aires, Matías Ariel Fernández Fernández deu início à sua carreira como jogador de futebol profissional no Chile, onde jogou na equipa principal do Colo-Colo, na época de 2004/2005, depois de seis épocas nas camadas jovens do clube chileno. Na equipa principal do Colo-Colo, Matías Fernández partilhou o balneário com outros jogadores de futebol como, por exemplo, Claudio Bravo, Arturo Vidal, Jorge Valdivia ou Gérman Real, tendo sido treinado por dois treinadores, na primeira época na equipa chilena: Marcelo Espina e Ricardo Dabrowski. Ao serviço dos chilenos do Colo-Colo, Matías Fernández jogou, na totalidade, 68 jogos e marcou cerca de 27 golos, tendo conquistado 2 Campeonatos Apertura e 2 Campeonatos Clausura. Matías Fernández permaneceu no Colo-Colo durante nove épocas seguidas (de 1998/1999 até 2006/2007). 

    

"SALTO" PARA O FUTEBOL EUROPEU 
A meio da temporada de 2006/2007, depois de representar o Colo-Colo, Matías Fernández rumou até Espanha, onde assinou contrato com o Villarreal. Na sua passagem pelo El Madrigal, Matías Fernández jogou ao lado de grandes nomes como, por exemplo, Sebastián Vera, Pascal Cygan, Rodolfo Arruabarrena, Santi Cazorla, Robert Pirès, Marcos Senna, Bruno Soriano, Diego Forlán ou Guillermo Franco, tendo sido orientado pelo compatriota Manuel Pellegrini. Como jogador do Submarino Amarelo, Matías Fernández jogou, na totalidade, 91 jogos e marcou, apenas, 7 golos, mas não conquistou nenhum título desportivo em Espanha. Matigol ficou no El Madrigal durante três temporadas consecutivas (2006/2007, 2007/2008, 2008/2009). 

     

GRANDE ESTRELA EM ALVALADE 
Depois de brilhar com a camisola do Villarreal, na exigente La Liga, Matías Fernández mudou-se para Portugal, na temporada de 2009/2010, onde assinou pelo Sporting Clube de Portugal. No Estádio de Alvalade, Matías Fernández privou com grandes futebolistas como, por exemplo, Rui Patrício, Daniel Carriço, Miguel Ángel Angulo, João Moutinho, Miguel Veloso, Liedson, Ricky van Wolfswinkel ou Andre Carrillo. Como jogador do Sporting Clube de Portugal, Matías Fernández disputou, na totalidade, 69 jogos e marcou cerca de 14 golos, mas não conquistou nenhum título em Portugal. O médio-ofensivo chileno ficou quatro épocas seguidas em Alvalade (2009/2010, 2010/2011, 2011/2012, 2012/2013).

   

MUDANÇA PARA FLORENÇA 
A meio da temporada de 2012/2013, Matías Fernández abandonou Alvalade e rumou até à cidade de Florença, em Itália, onde assinou contrato com a Fiorentina. Na sua passagem pelo Stadio Artemio Franchi, Matías Fernández jogou ao lado de grandes futebolistas como, por exemplo, Neto, Matija Nastasic, Juan Manuel Vargas, Alessio Cerci, Borja Valero, Adem Ljajic, Stevan Jovetic, Luca Toni ou Giuseppe Rossi, tendo sido treinado por Vincenzo Montella. Nas primeiras três temporadas no conjunto viola, Matías Fernández jogou, na totalidade, 102 e marcou, apenas, 6 golos, mas não conquistou qualquer título com a camisola da Fiorentina.

    

IMPRESCINDÍVEL NA SELEÇÃO CHILENA
Ao serviço da Seleção do Chile, Matías Fernández regista, até ao momento, 71 internacionalizações e 14 golos marcados, sendo uma peça imprescindível na seleção chilena, logo a seguir a outros craques como, por exemplo,Claudio Bravo ou Arturo Vidal. Pela seleção chilena, Matías Fernández marcou presença em grandes provas de seleções como, por exemplo, o Campeonato do Mundo de 2010 (África do Sul) e as Copa América de 2007, 2011 e de 2015, tendo conquistado a Copa América de 2015. Nas camadas jovens da seleção chilena, Matigol participou no Mundial de Sub-20 em 2005.

     

Atualmente, com 29 anos de idade, Matías Fernández continua ligado contratualmente aos italianos da Fiorentina, de Paulo Sousa, onde já jogou 13 jogos e onde ainda não marcou nenhum golo. 




A FICHA

Nome: Matías Ariel Fernández Fernández 
Idade: 29 anos  
Data de Nascimento: 15/05/1986  
Local de Nascimento: Buenos Aires, Argentina    
Altura: 1,78m 
Peso: 72 kg  
Posição: Médio-Ofensivo 
Clube: Fiorentina  
Internacionalizações: 71 jogos - 14 golos  


TRAJETÓRIA 

1998/2007: Colo-Colo
2006/2009: Villarreal
2009/2013: Sporting CP
2012/2016: Fiorentina 


PALMARÉS 

2 Campeonatos Apertura 
2 Campeonatos Clausura 
1 Copa América


EM AÇÃO



domingo, 29 de novembro de 2015

O que é feito de... Ariel Ortega

 

Foi um dos melhores médios-ofensivos que passaram pelo futebol do Velho Continente e foi um dos pilares de uma Seleção da Argentina que teve tudo para ganhar vários troféus. Passou por países de alto nível futebolístico, como Itália ou Espanha, e foi um dos símbolos dos argentinos do River Plate. Dono de uma excelente capacidade de finalização, este grande jogador possuía também uma excelente visão e uma enorme capacidade de passe, bem como uma boa capacidade técnica acima da média e um grande espírito de liderança dentro das quatro linhas, não sendo tão forte no jogo aéreo, graças aos seus 1,70 metros de altura. Conhecido por El Burrito, o seu nome é Ariel Ortega. 


FORMADO NO MONUMENTAL 
Nascido no dia de 4 de Março de 1974, na cidade argentina de San Martín, Arnaldo Ariel Ortega deu início à sua carreira de futebolista profissional no "todo-poderoso" River Plate, no ano de 1992, onde privou com grandes nomes como, por exemplo, Fernando Cáceres, Jorge Higuaín (pai de Gonzalo Higuaín), Matías Almeyda, Ramón Díaz ou brasileiro Júlio César, tendo sido treinado pela antiga glória millonaria Daniel Passarella. Como jogador do River Plate, na primeira passagem por Buenos Aires, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 28 jogos e apontou, apenas, 3 golos, tendo conquistando 4 Campeonatos Apertura, 1 Campeonato Clausura, 1 Copa Libertadores e 1 Supercopa Libertadores. Ariel Ortega permaneceu seis temporadas consecutivas na capital argentina (1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997). 

  

CHEGADA AO MESTALLA      
Depois da primeira passagem pelo River Plate, Ariel Ortega mudou-se para Espanha, na temporada de 1996/1997, onde assinou contrato com o Valência. Na sua passagem pelo Mestalla, Ariel Ortega jogou ao lado de grandes futebolistas de alto nível como, por exemplo, Andoni Zubizarreta, Gaizka Mendieta, Valery Karpin, Cláudio López, Romário ou Fernando Cáceres, tendo sido treinado por três treinadores na sua primeira época em Espanha: Luis Aragonés, Jorge Valdano e José Manuel Rielo. Ao serviço dos espanhóis do Valência, Ariel Ortega disputou, na totalidade, 32 jogos e marcou 9 golos, mas não conquistou qualquer título espanhol em terras de nuestros hermanos. El Burrito Ortega ficou, apenas, duas temporadas seguidas no Mestalla (1996/1997, 1997/1998). 

        

MUDANÇA PARA ITÁLIA 
Após duas temporadas a defender as cores do Valência, Ariel Ortega mudou-se para Itália, onde assinou pela Sampdória, na temporada de 1998/1999. Na sua passagem pela equipa transalpina, Ariel Ortega foi colega de equipa de grandes nomes como, por exemplo, o português Hugo, Vincenzo Montella, Matteo Solari ou Marco Ambrosio, tendo sido treinado por três treinadores: Luciano Spalletti, Zoran Filipovic e David Platt. Como jogador da Sampdória, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 27 jogos e apontou, apenas, 8 golos, tendo conquistado 1 Taça de Itália. 
A meio da temporada de 1998/1999, Ariel Ortega abandonou a Sampdória e mudou-se para o Parma, onde privou com outros grandes futebolistas de nível mundial como, por exemplo, Gianluigi Buffon, Fabio Cannavaro, Lilian Thuram, Juan Sebastián Verón, Faustino Asprilla ou Hernán Crespo, tendo sido orientado, na primeira temporada, por Alberto Malesani. Ao serviço dos italianos do Parma, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 26 jogos e marcou, apenas, 3 golos, tendo festejado a conquista de 1 Supertaça de Itália e de 1 Taça UEFA. Ariel Ortega permaneceu duas temporadas no Parma (1998/1999, 1999/2000). 

        

REGRESSO À ARGENTINA E MUDANÇA PARA A TURQUIA 
Após regressar à conquista de títulos em solo italiano, Ariel Ortega regressou à Argentina, onde assinou contrato com "seu" River Plate, no ano de 2001, e onde partilhou o balneário com futebolistas de elevado nível futebolístico como, por exemplo, Franco Costanzo, Roberto Bonano, Mario Yepes, Martín Demichelis, Diego Placente, Andrés D'Alessandro, Pablo Aimar, Javier Saviola ou Juan Pablo Ángel, tendo sido treinado por três treinadores, na primeira época no regresso ao River Plate: Santiago Ostolaza, Americo Gallego e Ramón Díaz. Na segunda passagem pelo River Plate, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 14 partidas e marcou, apenas, 2 golos, tendo conquistado 1 Campeonato Clausura. No regresso ao Monumental, El Burrito ficou apenas duas épocas seguidas no River Plate (2001, 2002).
Na época seguinte, em 2002/2003, Ariel Ortega regressou à Europa, onde rumou até à Turquia, para assinar contrato com o arquirrival do Galatasaray - o Fenerbahçe. No clube turco, Ariel Ortega privou com grandes futebolistas como, por exemplo, Rüstu Reçber, Volkan Demirel, Fábio Luciano, Semih Sentürk ou Serhiy Rebrov, tendo sido treinado pelo técnico alemão Werner Lorant. Ao serviço dos turcos do Fenerbahçe, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 6 jogos e não marcou qualquer golo, nem conquistou nenhum título em solo turco. O craque argentino ficou, apenas, uma época na Turquia (2002/2003).

   

REGRESSO EM DEFINITIVO À AMÉRICA DO SUL 
Após a experiência falhada na Turquia, Ariel Ortega regressou à Argentina, em definitivo, corria o ano de 2004, para assinar pelo Newell's Old Boys. No Newell's, Ariel Ortega foi companheiro de equipa de jogadores de futebol como, por exemplo, Gérman Ré, Ignacio Scocco, Mauro Rosales ou Darío Sala, tendo sido treinado por Americo Gallego, na primeira época. Como jogador do Newell's Old Boys, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 7 jogos e não marcou qualquer golo, conquistando 1 Campeonato Apertura. Ariel Ortega permaneceu três temporadas consecutivas no Newell's Old Boys (2004, 2005, 2006). 
No ano seguinte, em 2007, Ariel Ortega regressou à cidade de Buenos Aires, onde assinou contrato com o "seu" River Plate e onde privou com grandes futebolistas como, por exemplo, Germán Lux, Paulo Ferrari, Fernando Belluschi, Diego Buonanotte, Marcelo Gallardo, Radamel Falcao, Gonzalo Higuaín, Ernesto Farías ou Juan Pablo Carrizo, tendo sido orientado por Daniel Passarella. Ao serviço do River Plate, na terceira passagem pelo clube, El Burrito jogou, na totalidade, 27 jogos e apontou 3 golos, conquistando 1 Campeonato Clausura. Ariel Ortega ficou duas temporadas no Monumental (2007, 2008). Na época seguinte, em 2009, Ariel Ortega assinou contrato com o modesto Independiente Rivadavia, onde jogou ao lado de jogadores, como, por exemplo, Martín Gómez, Diego Caballero ou Aldo Paredes. Pelo Independiente Rivadavia, Ariel Ortega não realizou nenhum jogo. 


Em 2010, Ariel Ortega regressou, pela quarta vez, ao River Plate, onde jogou ao lado de nomes como, por exemplo, Javier Cohene, Facundo Quiroga, Gérman Pezzella, Gustavo Cabral, Gustavo Bou, Roberto Pereyra, Erik Lamela ou Rogelio Funes Mori, tendo sido treinado por Ángel Cappa. Ao serviço do River Plate, Ariel Ortega jogou, na totalidade, 27 jogos e marcou 4 golos, mas não conquistou qualquer título desportivo no River Plate. Ariel Ortega ficou duas épocas no clube de Buenos Aires (2010, 2011). A meio da época de 2011, Ariel Ortega mudou-se para o All Boys, onde jogou ao lado de jogadores de futebol como, por exemplo, Diego Ayala, Juan Pablo Rodríguez, Matías Saad ou Mauro Matos. Pelo All Boys, Ariel Ortega jogou, no total, 12 jogos e não marcou nenhum golo, nem ganhou nenhum troféu. Logo a seguir, em 2012, Ariel Ortega assinou pelo Defensores, onde privou com jogadores como, por exemplo, Luis González, German Oviedo ou Diego Coria. Pelo Defensores, Ariel El Burrito Ortega jogou, no total, 27 jogos e marcou, apenas, 4 golos. No final desta temporada, Ariel Ortega colocou um ponto final numa carreira que podia ter sido muito mais brilhante do que aquilo que foi. 

    

MUITO IMPORTANTE NA SELEÇÃO ALVICELESTE 
Como jogador da Seleção da Argentina, Ariel Ortega registou 86 internacionalizações e marcou 17 golos, tornando-se muito importante na seleção alviceleste, mas nunca conseguiu ganhar uma grande competição com a seleção do seu país. Ao serviço da seleção das pampas, Ariel Ortega marcou presença em grandes competições de seleções como, por exemplo, o Campeonato do Mundo de 1994 (Estados Unidos da América), de 1998 (França) e de 2002 (Coreia do Sul/Japão), a Copa América de 1995 e de 1999, a Taça das Confederações de 1995 e os Jogos Olímpicos de 1996 (Atlanta). 

   

Atualmente, com 41 anos de idade, Ariel El Burrito Ortega não desempenha nenhum cargo de relevo no futebol mundial. 




A FICHA

Nome: Arnaldo Ariel Ortega 
Idade: 41 anos 
Data de Nascimento: 4/03/1974 
Local de Nascimento: San Martín, Argentina 
Altura: 1,70m 
Peso: 67 kg 
Posição: Médio-Ofensivo 
Internacionalizações: 86 jogos - 17 golos 


TRAJETÓRIA 

1992/2011: River Plate 
1996/1998: Valência
1998/1999: Sampdória
1998/2000: Parma
2002/2003: Fenerbahçe 
2004/2006: Newell's Old Boys
2008/2009: Independiente Rivadavia 
2010/2011: All Boys
2011/2012: Defensores 


PALMARÉS 

5 Campeonatos Apertura 
3 Campeonatos Clausura 
1 Copa Libertadores
1 Supercopa Libertadores 
1 Taça de Itália
1 Supertaça de Itália
1 Taça UEFA


EM AÇÃO


Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Luís Filipe Vieira: «É um ano de mudança»; Casillas salva Lopetegui; Brahimi ilusionista.

  
  

sábado, 28 de novembro de 2015

O que é feito de... João Pinto


Conhecido pela sua enorme raça que demonstrava em campo, este jogador foi um dos melhores laterais-direitos portugueses que passaram pelo futebol português, no geral, e pelo Futebol Clube do Porto, no particular. Rápido, raçudo e dono de um excelente jogo aéreo, apesar dos seus 1,72 metros de altura, este jogador apresentava um enorme espírito de liderança dentro das quatro linhas, bem como uma elevada capacidade de concentração. Ganhou um "montão" de títulos no antigo Estádios das Antas com a camisola azul e branca. O seu nome é João Pinto. 



DRAGÃO ATÉ AO FIM
Nascido no dia 21 de Novembro de 1961, na cidade de Oliveira do Douro, João Domingos da Silva Pinto começou a sua carreiro no mundo do futebol no clube da sua cidade natal - Clube de Futebol de Oliveira do Douro - onde privou com jogadores desconhecidos para os adeptos do futebol português. João Pinto permaneceu, apenas, duas épocas no Oliveira do Douro (1974/1975, 1975/1976).
Na temporada seguinte, em 1976/1977, João Pinto integrou as camadas jovens do Futebol Clube do Porto, onde jogou ao lado de nomes como, por exemplo, Quinito, Armando Silva, Bandeirinha, José Coelho ou Tozé Durão. João Pinto permaneceu quatro épocas seguidas nas camadas jovens dos azuis e brancos (de 1976/1977 até 1979/1980). Na época a seguir, em 1980/1981, João Pinto subiu à primeira equipa do Futebol Clube do Porto, de onde nunca mais saiu, privando com grandes nomes como, por exemplo, Zé Beto, Lima Pereira, Rodolfo Reis, Jaime Magalhães, Jaime Pacheco, António Frasco, António Sousa, Fernando Gomes, Augusto Inácio ou Paulo Futre, tendo sido treinado pelo experiente Artur Jorge. Como jogador do FC Porto, João Pinto jogou, na totalidade, 587 jogos e apontou cerca de 20 golos, tendo festejado a conquista de 9 Ligas Portuguesas, 4 Taças de Portugal, 8 Supertaças de Portugal, 1 UEFA Champions League, 1 Supertaça Europeia e 1 Taça Intercontinental. João Pinto jogou na equipa principal do FC Porto durante dezassete temporadas consecutivas (de 1980/1981 até 1996/1997). No final da temporada de 1996/1997, João Pinto colocou um ponto final numa carreira recheada de muitos títulos e de muito prestígio internacional.


REGULAR PELA SELEÇÃO NACIONAL
Se pelo FC Porto João Pinto ganhou tudo o que havia para ganhar, pela Seleção Nacional foi sempre regular, registando 70 internacionalizações e 2 golos. Pela seleção portuguesa, João Pinto marcou presença em grandes provas de seleções como, por exemplo, o Campeonato da Europa de 1984 (França) e o Campeonato do Mundo de 1986 (México).

Atualmente, com 54 anos de idade, João Pinto não treina nenhum clube, depois de ter orientado as camadas jovens do FC Porto, o Sporting da Covilhã e o Desportivo de Chaves, bem como depois de ter sido treinador-adjunto e observador do FC Porto.



A FICHA

Nome: João Domingos da Silva Pinto
Idade: 54 anos
Data de Nascimento: 21/11/1961
Local de Nascimento: Oliveira do Douro, Portugal
Altura: 1,73m
Peso: 72 kg
Posição: Lateral-Direito
Internacionalizações: 70 jogos - 2 golos


TRAJETÓRIA

1974/1976: Oliveira do Douro
1976/1997: FC Porto


PALMARÉS

9 Ligas Portuguesas
4 Taças de Portugal
8 Supertaças de Portugal
1 UEFA Champions League
1 Supertaça Europeia
1 Taça Intercontinental


EM AÇÃO



Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Matheus Pereira: «Lutar pelo título é uma motivação brutal»; Os segredos de Bryan Ruiz - O príncipe com pés de veludo; Julen Lopetegui: «Ninguém conhece o nosso especialista em penáltis». 

  

domingo, 22 de novembro de 2015

O que é feito de... João Vieira Pinto


Conhecido por Menino d'Ouro, quando começou a dar nas vistas em Portugal, este grande jogador também protagonizou uma das maiores trocas entre Benfica e Sporting CP (muito tempo antes da troca de Jorge Jesus). Dono de uma excelente capacidade de finalização, este craque português apresenta também uma enorme classe e um grande espírito de liderança dentro das quatro linhas, bem como uma excelente velocidade que causava "estragos" nas defesas contrárias. O seu nome é João Vieira Pinto. 


DO BESSA PARA MADRID E REGRESSO AO PORTO
Nascido no dia 19 de Agosto de 1971, na cidade do Porto, João Manuel Vieira Pinto deu início à sua carreira de futebolista profissional no Boavista, na temporada de 1988/1989, onde partilhou o balneário com grandes jogadores como, por exemplo, Jorge Silva, Isaías, Juary, Paulo Duarte, Guy Hubart ou Martin Holmberg, tendo sido treinado por dois treinadores: Raul Águas e o brasileiro Pepe. Na primeira passagem pelo Estádio do Bessa, João Vieira Pinto jogou, na totalidade, 19 jogos e marcou 6 golos, mas não conquistou qualquer título desportivo no clube axadrezado. João Vieira Pinto ficou, apenas, duas épocas no Bessa (1988/1989, 1989/1990).
Depois de duas épocas a defender o Boavista, João Vieira Pinto rumou até Espanha, na temporada de 1990/1991, onde assinou contrato com o Atlético de Madrid, mas onde integrou a Equipa B dos colchoneros. Na equipa secundária do Atlético de Madrid, João Vieira Pinto foi colega de equipa de jogadores como, por exemplo, Cidoncha, Gonzalo ou Manuel Alfaro, tendo sido treinado por Antonio López.
Na época seguinte, em 1991/1992, João Pinto regressou ao Boavista, onde jogou ao lado de grandes nomes como, por exemplo, Costinha, Pedro Barny, Bobó, Carlos Manuel ou Ricky, tendo sido treinado por Manuel José e Raul Sousa. Neste regresso ao Boavista, João Vieira Pinto jogou, na totalidade, 39 jogos e marcou 8 golos, tendo ganho 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça de Portugal.

    
MENINO D'OURO NO ESTÁDIO DA LUZ
Na temporada seguinte, em 1992/1993, João Vieira Pinto mudou-se para Lisboa, onde assinou contrato com o Sport Lisboa e Benfica. Na sua estadia no clube encarnado, João Vieira Pinto jogou ao lado de grandes nomes do futebol nacional como, por exemplo, Pedro Roma, Neno, Carlos Mozer, Fernando Mendes, Hélder Cristóvão, António Veloso, Aleksandr Mostovoi, Paulo Futre, César Brito ou Sergei Yuran, tendo sido treinado por Tomislav Ivic e por Toni. Ao serviço do Benfica, João Vieira Pinto foi considerado como o Menino d'Ouro na equipa encarnada e jogou, na totalidade, 302 jogos e apontou cerca de 90 golos, tendo conquistado 2 Taças de Portugal e 1 Liga Portuguesa. Na sua primeira passagem pela Segunda Circular, João Vieira Pinto ficou no Benfica durante oito temporadas consecutivas (de 1992/1993 até 1999/2000).

     

TRANSFERÊNCIA POLÉMICA PARA OS LEÕES
Após oito épocas seguidas a representar o Benfica, João Vieira Pinto mudou-se para o Sporting Clube de Portugal, na temporada de 2000/2001, consumando uma das transferências mais polémicas naquela altura no futebol português. Na sua passagem pelo Estádio de Alvalade, João Vieira Pinto foi companheiro de equipa de grandes futebolistas como, por exemplo, Peter Schmeichel, Dimas, Rui Jorge, Rodrigo Tello, Beto, André Cruz, Paulo Bento, Pedro Barbosa, Beto Acosta, Mbo Mpenza ou Ricardo Sá Pinto, tendo sido treinado por Augusto Inácio, Fernando Mendes, Manuel Fernandes, Lazslo Bölöni e Fernando Santos. Como jogador do Sporting Clube de Portugal, João Vieira Pinto disputou, na totalidade, 146 jogos e apontou cerca de 32 golos, tendo conquistado 1 Taça de Portugal, 2 Supertaças de Portugal e 1 Liga Portuguesa. João Vieira Pinto permaneceu quatro temporadas seguidas no Estádio de Alvalade (de 2000/2001 até 2003/2004).

   

NOVO REGRESSO AO ESTÁDIO DO BESSA
Depois de quatro épocas de "leão ao peito", João Vieira Pinto regressou ao "seu" Boavista, na época de 2004/2005, onde jogou ao lado de nomes como, por exemplo, William, Carlos Fernandes, Nélson, Hélder Rosário, Frechaut, Martelinho, Diogo Valente, Guga, Toñito, Fary Faye, Cafú ou Hugo Almeida, tendo sido treinado por Jaime Pacheco, Erwin Sánchez e Pedro Barny. Neste regresso ao Estádio do Bessa, João Vieira Pinto jogou, na totalidade, 62 jogos e marcou cerca de 13 golos, mas não conquistou nenhum título desportivo. Como jogador do Boavista, João Vieira Pinto ficou, apenas, duas épocas no Bessa (2004/2005, 2005/2006).


TERMINAR EM BRAGA
Na época seguinte, em 2006/2007, João Vieira Pinto mudou-se para a cidade de Braga, onde representou o Sporting de Braga e onde jogou ao lado de grandes futebolistas como, por exemplo, Paulo Santos, Eduardo, Paíto, Luís Filipe, Alberto Rodríguez, Andrés Madrid, Vandinho, Hugo Leal, Wender, Diego Costa ou Matheus, tendo sido treinado por Carlos Carvalhal, Rogério Gonçalves e por Jorge Costa. Ao serviço do Sporting de Braga, João Vieira Pinto jogou, na totalidade, 51 jogos e apontou, apenas, 5 golos, mas não ganhou nenhum título desportivo. João Vieira Pinto ficou duas épocas na Cidade dos Arcebispos (2006/2007, 2007/2008) e no final da temporada de 2007/2008 decidiu colocar um ponto final na sua carreira de jogador de futebol profissional.

      

PEÇA-CHAVE NA SELEÇÃO NACIONAL
Se ao nível dos clubes João Vieira Pinto teve uma carreira recheada de grandes êxitos, pela Seleção Nacional foi uma peça-chave, registando 81 internacionalizações e 23 golos marcados. Pela seleção portuguesa, João Vieira Pinto marcou presença em grandes provas de seleções como, por exemplo, o Campeonato da Europa de 1996 (Inglaterra) e de 2000 (Bélgica/Holanda) e o Campeonato do Mundo de 2002 (Coreia do Sul/Japão). Pelas seleções jovens de Portugal, João Vieira Pinto participou no Campeonato da Europa de Sub-16 em 1987 e 1988, no Campeonato da Europa de Sub-21 em 1994, bem como no Campeonato do Mundo de Sub-20 em 1989 (Riade, Arábia Saudita) e de 1991 (Portugal). O Menino d'Ouro, pelas seleções jovens, conquistou os Mundiais de Sub-20 em 1989 e em 1991.

Atualmente, com 44 anos de idade, João Vieira Pinto é o Vice-Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, liderada por Fernando Gomes.  



A FICHA

Nome: João Manuel Vieira Pinto
Idade: 44 anos
Data de Nascimento: 19/08/1971
Local de Nascimento: Porto, Portugal
Altura: 1,71m
Peso: 63 kg
Posição: Médio-Ofensivo
Internacionalizações: 81 jogos - 23 golos


TRAJETÓRIA

1988/2006: Boavista
1990/1991: Atlético de Madrid
1992/2000: SL Benfica
2000/2004: Sporting CP
2006/2008: Sp.Braga


PALMARÉS

2 Campeonatos do Mundo de Sub-20
2 Ligas Portuguesas
4 Taças de Portugal
2 Supertaças de Portugal



EM AÇÃO

















Jornais de Hoje

Títulos de hoje: Histórico; Garras de leão; Virou hábito.

  


sábado, 21 de novembro de 2015

Sporting volta a derrotar o Benfica e segue em frente na Taça de Portugal

Sporting-Benfica (Lusa)

SPORTING CP 2-1 SL BENFICA
(Adrien Silva 45+2' e Slimani 112'; Mitroglou 6')

Hoje, no Estádio de Alvalade, o Sporting Clube de Portugal derrotou, por 2-1, o Sport Lisboa e Benfica e segue em frente na Taça de Portugal, deixando para trás a equipa treinada por Rui Vitória. O destaque desta partida vai, claramente, para a grande exibição do Sporting CP e para a exibição paupérrima da equipa do Benfica, bem como a boa exibição do árbitro portuense Jorge Sousa.


GOLOS

6' - SL BENFICA: Golo de Kostas Mitroglou - Depois de um grande passe de Nicolás Gaitán para Pizzi, o médio português não consegue dominar a bola e o ponta-de-lança grego remata para o fundo da baliza defendida por Rui Patrício. Estava feito o 0-1 para o Benfica.

45+2' - SPORTING CP: Golo de Adrien Silva - Após dois cortes muito deficientes da defesa encarnada, a juntar uma saída em falso de Júlio César, o médio português remata de primeira e fuzila a baliza benfiquista, fazendo o 1-1 no resultado... em cima do intervalo.

112' - SPORTING CP: Golo de Islam Slimani - Adrien Silva remata de fora de área, Júlio César defende para a frente e Islam Slimani, de forma oportuna e felina, coloca o esférico dentro da baliza defendida pelo veterano guarda-redes brasileiro, colocando o resultado final em 2-1 para os leões.


DESTAQUES  

Islam Slimani - O ponta-de-lança argelino mais uma vez resolveu o jogo.

Bryan Ruiz - O costa-riquenho foi sempre uma ameaça para o Benfica.

Gelson Martins - O menino entrou no início da segunda parte e agitou, completamente, o jogo.

Rui Patrício - Não teve culpa no golo sofrido e fez outras defesas fantásticas.

Jorge Jesus - JJ 3-0 Estrutura. Está tudo dito.

Júlio César - Evitou uma goleada muito maior.

Nicolás Gaitán - Se o argentino sair, este Benfica desmorona-se ainda mais.

Rui Vitória - Não chega ao natal.



Homem do jogo da parte do Sporting CP: Islam Slimani
Homem do jogo da parte do SL Benfica: Júlio César

O que é feito de... Moreira


Foi um dos bons guarda-redes que passaram pelo futebol português, ao mais alto nível, como outros guarda-redes como, por exemplo, Vítor Baía, Rui Patrício ou Hélton. Dono de um excelente jogo aéreo, graças aos seus 1,85 metros de altura, este guarda-redes possuía também um excelente jogo de mãos e de pés, bem como um enorme espírito de liderança dentro das quatro linhas e uma elevada capacidade de concentração em cada jogo que disputava. Fez quase toda a carreira em solo nacional, com exceção da passagem pelo País de Gales e pelo Chipre. O seu nome é Moreira.


DE VIDAL PINHEIRO PARA A LUZ
Nascido no dia 20 de Março de 1982, na cidade do Porto, José Filipe da Silva Moreira deu início à sua carreira futebolística no histórico clube português Sport Comércio e Salgueiros, em Paranhos. Na sua passagem pelo Estádio Vidal Pinheiro, Moreira partilhou o balneário do histórico estádio com nomes como, por exemplo, Varela, Mazola ou Fernando. O jovem guarda-redes português, Moreira, permaneceu nas camadas jovens do histórico clube português durante oito temporadas consecutivas (de 1991/1992 até 1998/1999).
Depois de oito épocas nos escalões de formação do Sport Comércio e Salgueiros, Moreira rumou até Lisboa para assinar contrato com o Sport Lisboa e Benfica, na temporada de 1999/2000. Na temporada de 1999/2000, Moreira integrou a Equipa B "encarnada", onde privou com futebolistas como, por exemplo, Erwin Sánchez, Rui Baião, Bruno Aguiar, Toy e Bernardo Vasconcelos, tendo sido treinado por dois técnicos: o português José Morais e o britânico Alan Murray. Nas duas épocas em que jogou na Equipa B do Benfica, Moreira jogou, na totalidade, 28 jogos. A partir da temporada de 2000/2001, Moreira subiu a primeira equipa do Benfica, onde treinou com grandes jogadores como, por exemplo, Robert Enke, Carlos Bossio, Carlos Marchena, Fernando Meira, Paulo Madeira, Serhiy Kandaurov, Maniche, Dani, Roger, Karel Poborský, Abdel Sabry, João Tomás ou Pierre van Hooijdonk, tendo sido treinado por três treinadores: o alemão Jupp Heynckes e os portugueses José Mourinho e Toni. Como jogador do Sport Lisboa e Benfica, Moreira disputou, na totalidade, 148 jogos e festejou a conquista de 1 Liga Portuguesa, 1 Taça de Portugal, 1 Supertaça de Portugal e de 2 Taças da Liga. Moreira permaneceu no Estádio da Luz durante catorze épocas seguidas (de 1999/2000 até 2010/2011).

        

MUDANÇA PARA O PAÍS DE GALES
Após catorze épocas consecutivas a defender a camisola do Sport Lisboa e Benfica, Moreira abandonou o Estádio da Luz e rumou até ao País de Gales, na temporada de 2011/2012, onde assinou contrato com o Swansea City, que militava na Premier League. Na sua passagem pelo Liberty Stadium, Moreira jogou ao lado de vários futebolistas como, por exemplo, Michel Vorm, Steven Caulker, Joe Allen, Scott Sinclair, Gylfi Sigurdsson, Craig Beattie ou Leroy Lita, tendo sido treinado por técnico norte-irlandês Brendan Rodgers (que até à bem pouco tempo era treinador do "todo-poderoso" Liverpool). Ao serviço dos galeses do Swansea City, Moreira jogou, na totalidade, apenas, 1 jogo e não conquistou qualquer título desportivo em Terras de Sua Majestade.

    

CHEGADA AO CHIPRE 
Depois de uma curta passagem pelo Swansea City, Moreira rumou até ao Chipre, na época de 2012/2013, onde assinou pelos cipriotas do Omonia de Nicósia. Enquanto foi jogador do Omonia, Moreira partilhou o balneário com vários futebolistas como, por exemplo, Johnny Leoni, Danielson, João Paulo, Renato Margaça, João Alves, Bruno Aguiar, Nuno Assis, Fredy ou André Alves, tendo sido treinado por dois treinadores cipriotas: Sofoklis Sofokleous e Neophytos Larkou. Ao serviço do Omonia, Moreira jogou, na totalidade, 70 jogos e onde conquistou 1 Supertaça do Chipre. Moreira permaneceu na capital cipriota durante três temporadas (2012/2013, 2013/2014, 2014/2015).


APENAS UM JOGO AO SERVIÇO DE PORTUGAL
Ao serviço da Seleção de Portugal, Moreira registou, apenas, 1 internacionalização e não marcou qualquer golo, mas também nunca teve grandes hipóteses de ser titular na baliza de Portugal, apesar de todo o seu talento. Ainda assim, Moreira marcou presença em grandes competições de seleções como, por exemplo, o Campeonato da Europa de 2004 (Portugal) e os Jogos Olímpicos de 2004 (Atenas). Pelas camadas jovens da Seleção Nacional, Moreira jogou no Campeonato da Europa de Sub-16 em 1998, de Sub-18 em 1999 e de Sub-21 em 2004.

 

Atualmente, com 33 anos de idade, Moreira está ligado contratualmente ao Olhanense, que milita na Segunda Liga, onde já jogou, até ao momento, em 10 jogos.



A FICHA

Nome: José Filipe da Silva Moreira
Idade: 33 anos
Data de Nascimento: 20/03/1982
Local de Nascimento: Porto, Portugal  
Altura: 1,85m  
Peso: 80 kg
Posição: Guarda-Redes
Clube: Olhanense
Internacionalizações: 1 jogo - 0 golos


TRAJETÓRIA

1991/1999: Salgueiros
1999/2011: SL Benfica
2011/2012: Swansea City
2012/2015: Omonia
2015/2016: Olhanense


PALMARÉS

1 Liga Portuguesa
1 Taça de Portugal
1 Supertaça de Portugal
2 Taças da Liga
1 Supertaça do Chipre


EM AÇÃO


segunda-feira, 16 de novembro de 2015

O que é feito de... Nuno Espírito Santo


Juntamente com outros nomes como, por exemplo, Moreira, Quim, Ricardo ou, mais recentemente, Rui Patrício, este guarda-redes foi mais um dos bons guarda-redes que passaram pelo nosso futebol português e por um dos "três grandes": o Futebol Clube do Porto. Dono de um grande jogo aéreo, graças aos seus 1,88 metros de altura, este jogador apresentava uma enorme capacidade de liderança dentro das quatro linhas, possuía uma elevada capacidade de concentração dentro do campo e tinha bons reflexos e um bom jogo de mãos. Passou por outros clubes, para além do FC Porto, mas foi na Invicta que ganhou os títulos mais prestigiantes. O seu nome é Nuno Espírito Santo.  


INÍCIO DA CARREIRA EM SOLO NACIONAL
Nascido no dia 25 de Janeiro de 1947, em São Tomé e Príncipe, Nuno Herlander Simões Espírito Santo deu início à sua carreira no mundo do futebol no Vitória de Guimarães, na temporada de 1992/1993. Na sua primeira passagem pela Cidade-Berço, Nuno Espírito Santo jogou ao lado de grandes nomes do futebol português como, por exemplo, Dimas, Quim Machado, Paulo Bento, Pedro Barbosa, Moreira de Sá ou José Lima, tendo sido treinado por três treinadores: Marinho Peres, Bernardino Pedroto e Manuel Machado. Ao serviço do Vitória de Guimarães, Nuno Espírito Santo jogou, na totalidade, 1 jogo e não ganhou nenhum título desportivo.
Na época seguinte, em 1993/1994, Nuno Espírito Santo assinou contrato com o modesto Vila Real, onde acabou por realizar, na totalidade, 19 jogos, mas onde não ganhou nenhum troféu. Logo a seguir, em 1994/1995, Nuno Espírito Santo regressou ao Vitória de Guimarães, onde privou com grandes futebolistas como, por exemplo, Pedro Martins, Zlatko Zahovic, Mboté N'Dinga ou Basílio Marques. Na segunda passagem pelo Estádio D.Afonso Henriques, Nuno Espírito Santo jogou, na totalidade, 33 jogos e não ganhou qualquer título desportivo. Nuno Espírito Santo ficou, apenas, duas épocas na Cidade-Berço (1994/1995, 1995/1996).

       

PRIMEIRA EXPERIÊNCIA NO ESTRANGEIRO
Depois de brilhar na baliza do Vitória de Guimarães e do Vila Real, Nuno Espírito Santo rumou até Espanha, para a sua primeira experiência no estrangeiro, onde assinou contrato com o Deportivo da Corunha, na época de 1996/1997. No Riazor, Nuno Espírito Santo privou com grandes nomes como, por exemplo, Hélder Cristóvão, Rivaldo, Mauro Silva, Flávio Conceição ou Naybet, tendo sido treinado por três treinadores: o brasileiro Carlos Alberto Silva, o galês John Toshack ou o espanhol Corral. Ao serviço do Deportivo da Corunha, Nuno Espírito Santo jogou, na totalidade, 2 jogos e não ganhou nenhum troféu. O guarda-redes português ficou duas épocas na Galiza (1996/1997, 1997/1998).
Na época seguinte, em 1998/1999, Nuno Espírito Santo deixou o Deportivo da Corunha e assinou contrato com o modesto Mérida, onde privou com jogadores de futebol como, por exemplo, o português César Brito, o uruguaio Roberto Bobadilla, o brasileiro Leonardo Oliveira ou o guineense Abdallah Bah. Como jogador do Mérida, Nuno Espírito Santo jogou, apenas, 1 jogo e permaneceu, apenas, duas épocas no modesto clube hispânico (1998/1999, 1999/2000). Na temporada de 2000/2001, Nuno Espírito Santo ingressou no Osasuna, onde jogou ao lado de futebolistas como, por exemplo, o marroquino Moha, o brasileiro Leandro Sena, o russo Sergei Shustikov ou o polaco Miroslaw Trzeciak, tendo sido treinado por Miguel Ángel Lotina. Na época seguinte, em 2001/2002, Nuno Espírito Santo regressou à Galiza e assinou contrato com o Deportivo da Corunha, onde jogou ao lado de grandes nomes como, por exemplo, Dani Mallo, Joan Capdevila, Lionel Scaloni, Aldo Duscher, Djalminha, Juan Carlos Valerón, Roy Makaay, Diego Tristán ou Walter Pandiani, tendo sido treinado por Javier Irureta. No seu regresso ao Riazor, Nuno Espírito Santo jogou, na totalidade, 6 jogos e conquistou 1 Taça do Rei.

            

SUCESSO EUROPEU NO DRAGÃO
Depois da longa aventura por terras espanholas, Nuno Espírito Santo regressou ao futebol português, na época de 2002/2003, para assinar pelo Futebol Clube do Porto. Na sua primeira passagem pela Cidade Invicta, Nuno Espírito Santo foi colega de equipa de grandes nomes do futebol nacional como, por exemplo, Vítor Baía, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Pedro Emanuel, Deco, Paulinho Santos, Maniche, Costinha, Edgaras Jankauskas, Derlei ou Hélder Postiga, tendo sido treinado por José Mourinho. Na sua primeira passagem pelo FC Porto, Nuno Espírito Santo jogou, na totalidade, 31 jogos e apontou 1 golo, tendo conquistado 2 Ligas Portuguesas, 1 Taça de Portugal, 1 Taça UEFA, 1 UEFA Champions League e 1 Taça Intercontinental. Nuno Espírito Santo ficou três temporadas consecutivas no FC Porto (2002/2003, 2003/2004, 2004/2005).

   

DE MOSCOVO PARA A VILA DAS AVES
Depois do sucesso europeu e internacional ao serviço do Futebol Clube do Porto, Nuno Espírito Santo rumou até à Rússia, a meio da época de 2004/2005, onde assinou contrato com o Dínamo de Moscovo. Na capital russa, Nuno Espírito Santo foi companheiro de equipa de grandes jogadores de futebol como, por exemplo, Jorge Ribeiro, Frechaut, Giourkas Seitaridis, Thiago Silva (hoje no Paris Saint-Germain), Joseph Enakarhire, Luís Loureiro, Danny ou Cícero, tendo sido treinado por dois treinadores: o brasileiro Ivo Wortmann e o russo Oleg Romantsev. Como jogador dos russos do Dínamo de Moscovo, Nuno Espírito Santo realizou, na totalidade, 11 jogos e não ganhou nenhum título desportivo. Nuno Espírito Santo ficou, apenas, duas temporadas na cidade de Moscovo (2004/2005, 2005/2006).
Na temporada seguinte, em 2006/2007, Nuno Espírito Santo regressou, em definitivo, a Portugal e assinou contrato pelo Desportivo das Aves, que se estreou na Primeira Liga. Na sua passagem pela Vila das Aves, Nuno Espírito Santo jogou ao lado de futebolistas como, por exemplo, Rui Faria, Sérgio Nunes, Filipe Anunciação, Freddy, Hernâni, Paulo Sérgio, Artur Futre ou Diego Gama, tendo sido treinado pelo professor Neca. Como jogador do Desportivo das Aves, Nuno Espírito Santo disputou, na totalidade, 15 jogos e não conquistou nenhum título desportivo com a camisola "vermelha e branca".
      

TERMINAR A CARREIRA NO DRAGÃO
Após a passagem pelo Desportivo das Aves, Nuno Espírito Santo regressou ao Futebol Clube do Porto, na temporada de 2007/2008. No regresso ao Estádio do Dragão, Nuno Espírito Santo partilhou o balneário com grandes craques como, por exemplo, Hélton, Bruno Alves, Lucho González, Raul Meireles, Bosingwa, Paulo Assunção, Ricardo Quaresma, Lisandro López, Mariano González ou Wason Rentería, tendo sido treinado pelo professor Jesualdo Ferreira. Na segunda passagem pelo FC Porto, Nuno Espírito Santo jogou, na totalidade, 30 jogos e festejou a conquista de 2 Ligas Portuguesas e de 1 Taça de Portugal. Nuno Espírito Santo ficou três épocas seguidas no Estádio do Dragão e no final da época de 2009/2010 decidiu colocar um ponto final na sua carreira de guarda-redes profissional.

   

Atualmente, com 41 anos de idade, Nuno Espírito Santo é o treinador principal do Valência, depois de ter treinado o Rio Ave e de ter sido o treinador de guarda-redes do Málaga e do Panathinaikos.



A FICHA

Nome: Nuno Herlander Simões Espírito Santo
Idade: 41 anos
Data de Nascimento: 25/01/1974
Local de Nascimento: São Tomé, São Tomé e Príncipe
Altura: 1,88m
Peso: 83 kg
Posição: Guarda-Redes
Internacionalizações: Não tem.


TRAJETÓRIA 

1992/1996: Vitória de Guimarães
1993/1994: Vila Real
1996/2002: Deportivo da Corunha
1998/2000: Mérida
2000/2001: Osasuna
2002/2010: FC Porto
2004/2006: Dínamo de Moscovo
2006/2007: Desportivo das Aves
  

PALMARÉS

1 Taça do Rei
4 Ligas Portuguesas
2 Taças de Portugal
1 UEFA Champions League
1 Taça UEFA
1 Taça Intercontinental


EM AÇÃO