segunda-feira, 3 de abril de 2017

Uma nova geração de treinadores

Esta época tem sido muito atípica no que toca aos treinadores, visto que já houve 15 mudanças de treinador. Mas nessas quinze mudanças houve treinadores de grande qualidade que se destacam em algumas equipas "pequenas" como, por exemplo, Feirense, Marítimo, Desportivo de Chaves ou Paços de Ferreira. Essas equipas começaram com um treinador e por uma razão acabaram por mudar o paradigma do futebol que praticavam. E tal como acontece com os jogadores de futebol em que há sempre uma geração que vem logo a seguir a outra, nos treinadores acontece precisamente o mesmo. Chegaram, esta época, à Primeira Liga treinadores jovens e de grande qualidade para substituir que começou a época. Alguns treinadores mais experientes, como Manuel Machado, já não vão para novos e os clubes começam a pensar em mudar o paradigma do seu futebol para tentarem melhorar a qualidade do seu jogo jogado. E esta época o que não faltam são treinadores jovens e qualidade na Primeira Liga, alguns até vieram da Segunda Liga.Os nomes que se seguem em baixo são alguns treinadores que estão um fazer campeonato muito bom e que merecem chegar a um patamar mais exigente. E têm qualidade para "darem o salto".

Daniel Ramos: Paulo César Gusmão iniciou a época no Marítimo, mas durou muito pouco e a Direção do clube madeirense foi buscar Daniel Ramos que estava a fazer um excelente trabalho no Famalicão, na Segunda Liga. E a aposta está a ser bem sucedida, visto que Daniel Ramos tem o Marítimo no sexto lugar e muito perto dos lugares europeus, podendo mesmo ir à Liga Europa, se Vitória de Guimarães e Benfica forem à Final da Taça de Portugal.  

Nuno Manta Santos: Quando chegou a meio da temporada, para suceder ao sempre fraco José Mota, o Feirense andava pelos últimos lugares da tabela classificativa e Nuno Manta Santos soube motivar a equipa e pô-la a jogar um futebol atrativo, que culmina, atualmente, num fantástica 9º lugar para o clube de Santa Maria da Feira. A descida já não é problema para os pupilos de Nuno Manta Santos. É caso para dizer: Santo da casa faz milagre. 

Ricardo Soares: Quando Jorge Simão deixou o Desportivo de Chaves, o clube transmontano foi buscar Ricardo Soares, que andava a fazer um bom trabalho no Vizela na Segunda Liga, e a equipa transmontana passou a jogar um futebol bonito e mais defensivo mas que já foi suficiente para empatar com Sporting para o campeonato e para eliminar a equipa de Jorge Jesus na Taça de Portugal. 

Vasco Seabra: Com Vasco Seabra, que sucedeu a Carlos Pinto, o Paços de Ferreira tem jogado olhos nos olhos com todos os adversários, na Primeira Liga, e aos poucos vai-se "safando" da descida de divisão. Este jovem treinador soube colocar o Paços de Ferreira a jogar com qualidade e com fio de jogo, que era o que não se via na equipa treinada por Carlos Pinto. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Podem comentar á vontade e cada um pode expressar a sua opinião, mas aviso já que não aceito comentários insultuosos contribuindo para o bom funcionamento da caixa de comentários e para debater opiniões sobre as notícias colocadas no blog.
Por fim, peço também aos "anónimos" que assinem o seu nome/nick no final dos seus comentários de modo a facilitar a comunicação entre os leitores e o autor do blog.