segunda-feira, 22 de maio de 2017

Quem se segue depois de Nuno Espírito Santo?

Resultado de imagem para nuno espirito santo fcp adeusConcluído mais um campeonato português e o Futebol Clube do Porto voltar a terminar uma época sem qualquer título conquistado. E já lá vão quatro anos sem vencer qualquer troféu a nível desportivo... desde a Supertaça de Portugal no consulado de Paulo Fonseca. Nestes penosos quatro anos, sem qualquer título, o FC Porto contou teve vários treinadores que pouco, ou nada, fizeram para devolver o clube azul e branco aos tempos do sucesso desportivo. Primeiro, chegou Paulo Fonseca, mas ao desgraçado deram-lhe jogadores de qualidade duvidosa como, por exemplo, Josué, Licá ou Nabil Ghilas (o eterno "Benzema de Moreira de Cónegos") e com essa fraca matéria-prima não se pode pedir milagres a um treinador. Na mesma época (2013/2014), Paulo Fonseca saiu e entrou Luís Castro que apresentou alguns resultados em pouco tempo, mas logo foi escorraçado do clube do Dragão, para depois irem buscar Julen Lopetegui na época de 2014/2015. Com Lopetegui ao comando da equipa portista, acabaram por chegar jogadores sonantes, na primeira época, como, por exemplo, Óliver Torres, Cristian Tello, Brahimi ou Casemiro, mas títulos desportivos é que nem vê-los. E na segunda época, Lopetegui ainda foi buscar Iker Casillas, mas nem assim conseguiu devolver o FC Porto à glória, tendo saído a meio da época passada. Logo de seguida chegou José Peseiro... e a equipa não melhorou em nada e acabou mesmo por "bater no fundo" ao perder a final da Taça de Portugal diante do Sporting de Braga... de Paulo Fonseca (como o futebol é irónico).
No início da presente temporada de 2016/2017, o Futebol Clube do Porto foi buscar Nuno Espírito Santo, mas o antigo guarda-redes nunca foi um nome muito consensual entre os dirigentes do clube do Norte e, muito menos, entre a massa associativa. E com Nuno Espírito Santo, o FC Porto nunca praticou um futebol atrativo, jogava sempre com medo de perder e sempre que teve uma oportunidade para passar para a liderança do campeonato acabava por claudicar. Agora que Nuno Espírito Santo sairá do FC Porto, a SAD do clube precisa de escolher bem o próximo treinador que terá a árdua tarefa de devolver o clube à conquista de títulos desportivos. Mais abaixo irei falar de três treinadores que poderiam colocar o FC Porto de volta à conquista de títulos, como habituou os adeptos num passado não muito longínquo. 


Marco Silva: É talvez o treinador mais difícil de tentar trazer, de novo, para o futebol português, depois do excelente trabalho realizado no Hull City, mesmo não tendo conseguido salvar esse modesto clube inglês da descida ao sempre exigente Championship. O antigo treinador de Estoril-Praia, Sporting CP e Olympiacos seria o nome ideal para voltar a colocar o FC Porto no rumo dos títulos desportivos, mas a cotação que alcançou em Inglaterra levá-lo-á a assinar contrato com um clube mais forte financeiramente na Premier League.  

Paulo Sousa: O trabalho meritório realizado no comando técnico da Fiorentina, apesar de ter deixado o conjunto viola no oitavo lugar da Serie A italiana, pode servir para que o antigo internacional português possa ser o técnico eleito para devolver o FC Porto aos caminhos do sucesso desportivo. Paulo Sousa é um treinador que também sabe potenciar os jogadores que treina e alguns jogadores do FC Porto iriam render mais com o atual treinador da Fiorentina. 

Luís Castro: Se o ainda treinador do Rio Ave não tivesse chegado ainda a acordo com o Desportivo de Chaves para a próxima temporada, Luís Castro seria a pessoa certa para o lugar deixado vago por Nuno Espírito Santo. Em 2013/2014, quando rendeu Paulo Fonseca, Luís Castro, em pouco tempo, mostrou que era homem certo no lugar certo e agora seria novamente escolha acertada para treinar o conjunto portista, visto que conhece o clube por dentro e sabe potenciar jogadores da Equipa B, que ele tão bem conhece.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Podem comentar á vontade e cada um pode expressar a sua opinião, mas aviso já que não aceito comentários insultuosos contribuindo para o bom funcionamento da caixa de comentários e para debater opiniões sobre as notícias colocadas no blog.
Por fim, peço também aos "anónimos" que assinem o seu nome/nick no final dos seus comentários de modo a facilitar a comunicação entre os leitores e o autor do blog.