Rui Patrício: o Vítor Damas do século XXI

19 de Novembro de 2006. Marítimo-Sporting CP. Estádio dos Barreiros. Foi nesta data e neste mesmo jogo que apareceu um rapazinho na baliza do clube verde e branco para substituir Ricardo, o habitual titular da baliza do Sporting Clube de Portugal, que se havia lesionado. E esse mesmo rapazinho teve uma estreia de sonho ao defender, aos 74 minutos, uma grande penalidade marcada por Kanu, avançado que na altura representava o Marítimo. Esse rapazinho é, nem mais nem menos, que Rui Patrício, que agora é dono da baliza do Sporting Clube de Portugal e da Seleção Nacional.

Esse mesmo momento em que o Rui Patrício defende o penalti de Kanu acaba por marcar, sem qualquer dúvida, a carreira daquele que é um dos melhores guarda-redes a jogar no futebol português. Depois desse episódio memorável, na época de 2006/2007, Rui Patrício passou a ser titular na baliza leonina, desde a época de 2007/2008 (graças também a uma aselhice de Vladimir Stojkovic num jogo entre FC Porto e Sporting CP), e nunca mais largou esse posto no Estádio de Alvalade. Rui Patrício é um guarda-redes que merece ficar na história do Sporting e muitas pessoas já lhe chamam o "Vítor Damas do século XXI", não só pela qualidade exibida em campo, como também pela carreira feita, atá ao momento, no emblema de Alvalade. O titular do Sporting e da Seleção Nacional teve que ultrapassar diversas dificuldades como, por exemplo, a desconfiança da grande maioria dos adeptos sportinguista por verem o técnico Paulo Bento lançar na baliza do Sporting um miúdo, em detrimento de um  guarda-redes mais experiente, como era o caso do Vladimir Stojkovic. Outro fator que joga a favor de Rui Patrício, é o facto do guarda-redes português nunca ter cedido, a título de empréstimo, a um qualquer clube da Primeira Liga ou de outros campeonatos, quando era um jovem futebolista, o que demonstra bem que os treinadores, que o orientaram tinham plena confiança nas suas capacidades.

Ainda assim, Rui Patrício já foi treinado por inúmeros treinadores na sua carreira, começando por Paulo Bento (que foi quem o lançou), passando por Carlos Carvalhal, Paulo Sérgio, José Couceiro, Domingos Paciência, Ricardo Sá Pinto, Oceano Cruz, Franky Vercauteren, Jesualdo Ferreira, Leonardo Jardim, Marco Silva e acabando, para já, em Jorge Jesus. Mas se o Nº1 da Seleção e do Sporting já foi treinado por muitos treinadores, Rui Patrício já fez relegar para o banco vários guarda-redes, no Sporting, como, por exemplo, Ricardo Batista, Timo Hildebrand, Marcelo Boeck ou, mais recentemente, Beto. 
 
Durante a sua longa estada em Alvalade, Rui Patrício já se tornou um símbolo do clube e já leva alguns títulos, de leão ao peito, na bagagem como, por exemplo, 3 Supertaças de Portugal, 3 Taças de Portugal e um campeonato em cada escalão dos juniores. Mas, ainda assim, o ponto alto da sua carreira foi, sem dúvida, ao serviço da Seleção Nacional ao sagrar-se Campeão Europeu, no Euro'2016, e ao ficar em segundo lugar, atrás de Gianluigi Buffon, na lista de melhor guarda-redes do Mundo. Sem dúvida que o Rui Patrício é um dos melhores guarda-redes portugueses que jogam no futebol português e quando abandonar Alvalade e a Seleção Nacional será muito complicado para o seu sucessor, em ambas as equipas, carregar esse peso nos ombros. O Rui merece tudo de bom na sua carreira, ao mais alto nível, no mundo do futebol.                                

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Vai dar que falar... João Virgínia

Vai dar que falar... Léo Jabá

Scouting: Jorge Fellipe