O Desaparecido: Rodrigo Possebon

O Desaparecido é uma rúbrica semanal do blogue desportivo Galáxia Futebolística, onde será falado um futebolista que tenho sido apontado como grande jovem promessa, mas que nunca tenho conseguido mostrar todo o seu potencial ao mais alto nível.

Há muito poucos jogadores brasileiros que podem dizer que vestiram a camisola do todo-poderoso Manchester United, como foram os casos de Kléberson e Anderson, mas houve um jogador que nunca conseguiu ser opção para Sir Alex Ferguson: Rodrigo Possebon. Este futebolista brasileiro, com ascendência italiana, saiu da cantera do histórico Internacional de Porto Alegre, o arquirrival do Grémio. Rodrigo Possebon esteve cinco épocas nas camadas jovens do clube brasileiro (2003, 2004, 2005, 2006, 2007) e uma época na Equipa B do emblema de Porto Alegre (2008). Médio-centro de origem, Possebon destacava-se pela sua velocidade, capacidade de passe e pela sua técnica com bola, mas ainda assim não foi suficiente para singrar em Old Trafford, onde só fez 8 jogos pelos Red Devils
Depois da fracassada a época de 2008/2009, no Manchester United, Rodrigo Possebon foi cedido, a título de empréstimo, ao Sporting Clube de Braga, mas só realizou 1 jogo pelo clube arsenalista, na altura orientado pelo técnico Domingos Paciência.


Na mesma época, Rodrigo Possebon deixou o Manchester United e regressou, novamente, ao Brasil, onde assinou pelo Santos e onde não conseguiu mostrar o seu talento (2010: 1 jogo - 0 golos; 2011: 30 jogos - 1 golo).
Depois de fazer alguns jogos pelo Santos, Rodrigo Possebon acabou por regressar ao futebol europeu, mas, desta vez, assinou pelo modesto clube italiano do Vicenza, onde as coisas não lhe correram nada bem, visto que o futebolista brasileiro nem sequer disputou nenhum jogo em solo transalpino. No ano de 2012, Possebon acabou por volta ao seu país natal e assinou pelo Criciúma, onde jogou 9 jogos e não marcou nenhum golo.


Seguiu-se, ainda em 2012, o Mirassol, mas voltou a ser muito infeliz, tendo apenas disputado 4 jogos e não marcou qualquer golo por esse modesto clube canarinho. Em 2013, Rodrigo Possebon assinou contrato com o Juventude, mas só jogou em 5 jogos pelo emblema do estado do Rio Grande do Sul. No ano seguinte, em 2014, o médio-centro brasileiro deixou o Juventude e rumou até ao Náutico, onde jogou, apenas, em 7 jogos e voltou a ficar em branco na equipa do estado de Pernambuco.
Na temporada seguinte, em 2014/2015, Rodrigo Possebon voltou a emigrar e desta vez rumou até ao Bahrein, onde assinou pelo modesto Al Riffa, mas não realizou nenhum jogo nessa emblema do futebol do Médio Oriente. No ano de 2016, Rodrigo Possebon voltou novamente ao seu Brasil para assinar pelo também modesto União Recreativa dos Trabalhadores (URT), onde participou em 7 jogos e marcou 1 golo pelo clube do estado de Minas Gerais. Neste ano de 2017, Possebon mantém ainda no Esporte Clube Passo Fundo, de Rio Grande do Sul, onde leva 8 jogos, mas sem ter marcado qualquer golo.
Aos 28 anos de idade, Rodrigo Possebon já não vai a tempo de corrigir os erros e as más escolhas que fez no passado, mas  agora não vale a pena chorar sobre o leite derramado. Ele teve a sua oportunidade, pelo menos, em Braga e Manchester e não a soube aproveitar.                   

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Vai dar que falar... João Virgínia

Scouting: Jorge Fellipe

Convocatória de Rui Vitória para o Bonfim sem qualquer novidade