Seleção do Panamá: a estreia num Mundial já é um prémio saboroso

Resultado de imagem para panama mundial 2018
Neste Campeonato do Mundo de 2018, na Rússia, a Islândia não é a única seleção a estrear-se em Mundiais. Vindo diretamente da Fase de Qualificação da zona da CONCACAF, para o seu primeiro Mundial de futebol, é a Seleção do Panamá. Modesta e sem grandes argumentos futebolísticos, a estreia numa fase de grupos de um Mundial já é um prémio muito saboroso para os adeptos panamianos e para os próprios jogadores e staff técnico (onde o nosso bem conhecido Gabriel Gómez marcará presença). Esta seleção panamiana é formada com base na disciplina e solidez defensiva, mas não se deve, contudo, subestimar esta frágil equipa das Caraíbas. Ainda assim, com todo o apoio que virá das bancadas, a Seleção do Panamá ganhará uma motivação extra e isso, às vezes, poderá fazer muita diferença (veja-se o caso da Costa Rica no Mundial de 2014). 
Sob a orientação do experiente selecionador colombiano Hernán Darío Gómez, a Seleção do Panamá, durante a Fase de Qualificação, terminou em segundo lugar, na 4ª Fase, atrás da Costa Rica e à frente do Haiti e da Jamaica, somando 3 vitórias, 1 empate e 2 derrotas, 7 golos marcados, 5 sofridos e 10 pontos conquistados em 6 jogos realizados; na 5ª Fase, a seleção panamiana terminou em terceiro lugar, atrás do México e da Costa Rica e à frente das Honduras, dos Estados Unidos da América e de Trinidad e Tobago, somando 3 vitórias, 4 empates, 3 derrotas, 9 golos marcados, 10 sofridos e 16 pontos em 10 jogos disputados. 
Agora, no Mundial de 2018, num grupo com Bélgica, Inglaterra e Tunísia, qualquer pontinho que façam saberá como se uma vitória na final do torneio se tratasse. E os adeptos do Panamá merecem ver a sua seleção jogar contra as grandes equipas. 

Estrela da Equipa: Blas Pérez (Municipal): Aos 37 anos de idade, Blas Pérez é a estrela da Seleção do Panamá e defende as cores do Municipal, equipa da Guatemala. Com o avançar da idade, o avançado panamiano vai ganhando um pouco de barriga, mas, mesmo assim, mantém o estatuto de estrela na sua seleção, tal como a capacidade de continuar a marcar golos. Com grande experiência no futebol norte-americano, Blas Pérez tem um conjunto de opções técnicas quando tem de atacar o esférico e não é de estranhar que marque muitos golos de pontapés de bicicleta. Este Campeonato do Mundo será o primeiro torneio em que o avançado do Municipal irá participar e quererá, de certeza absoluta, ter uma boa prestação pelo seu país natal para, quem sabe, abrir umas portas no futebol do Velho Continente, mesmo aos 37 anos. 

Jogador a Seguir: Fidel Escobar (New York Red Bull): Com passagem pelo San Francisco (Panamá), San Miguelito (Panamá) e pelo Sporting Clube de Portugal, onde esteve na Equipa B, por empréstimo do San Miguelito, Fidel Escobar é uma das novas jovens promessas do futebol panamiano e do New York Red Bull, clube que representa também por empréstimo do San Miguelito. Forte fisicamente, Fidel Escobar é um jogador veloz, com boa saída de bola e forte no jogo aéreo, graças aos seus 1,81 metros de altura, mas sua juventude, fruto dos seus 23 anos de idade, e a sua irreverência poderão, às vezes, colocar em risco a defesa da Seleção do Panamá, pelo que terá de jogar com cautelas. Se tiver uma boa prestação neste Campeonato do Mundo, onde será a sua estreia em Mundiais, Fidel Escobar poderá abrir novas portas e regressar ao futebol europeu, depois de ter passado pelo Equipa B dos leões

Selecionador: Hernán Darío Gómez (colombiano, 62 anos): Neste Campeonato do Mundo de 2018, a Seleção do Panamá irá encontrar grandes dificuldades na fase de grupos, o que levou o selecionador colombiano Hernán Darío Gómez a trabalhar a equipa numa tática mais defensiva, passando do 4x4x2, habitualmente utilizado nas eliminatórias, para o 5x4x1 muito utilizado nos jogos de preparação, mas sem grandes resultados à vista. Ainda assim, o técnico colombiano pouco ou nada pode fazer com esta seleção no Mundial, mas, pelo menos, já entrou no coração dos adeptos panamianos ao conseguir a levar este país ao maior torneio de seleções a nível mundial. Individualmente, o Panamá é a terceira seleção que Hernán Darío Gómez leva a um Campeonato do Mundo, depois de ter qualificado a Colômbia (1998) e o Equador (2002). Ainda assim, El Bolillo, como é conhecido, vai tentando renovar a seleção panamiana, dentro do possível, substituindo alguns jogadores com mais de 30 anos por jovens promessas. 

Equipa-Tipo: Jaime Penedo, Michael Amir Murillo, Fidel Escobar, Felipe Baloy, Adolfo Machado, Luis Ovalle; Alberto Quintero, Anibal Godoy, Armando Cooper, Édgar Bárcenas; Blas Pérez. 

Selecionador: Hernán Darío Gómez

Comentários

Mensagens populares deste blogue

OFICIAL: Simeon Slavchev vai continuar emprestado ao Lechia Gdańsk

Scouting: Jorge Fellipe

Convocatória de Rui Vitória para o Bonfim sem qualquer novidade