Wolverhampton: regresso à Premier League pela mão de Nuno Espírito Santo

2011/2012. Esta foi a última época em que o Wolverhampton Wanderers marcou presença na Barclays Premier League, onde tinha jogadores de qualidade razoável (Sam Vokes, Ebanks-Blake, Emmanuel Frimpong, Eggert Jónsson ou Wayne Hennessey, por exemplo) e o histórico treinador irlandês Mick McCarthy no comando técnico dos Wolves (o irlandês esteve seis temporadas seguidas no Molineux). 
Seis anos depois da última presença no escalão máximo do futebol inglês, o Wolverhampton, agora liderado pelo técnico português Nuno Espírito Santo, está de regresso à Premier League e chega com a ambição de se manter o mais rápido possível entre os grandes clubes ingleses e, quem sabe, lutar por uma vaga nos lugares europeus. E para essa ambição renovada, os Wolves contam com alguns nomes de luxo, como, por exemplo Rui Patrício, Raúl Jiménez, Diogo Jota ou Ivan Cavaleiro, por exemplo.
Com o atual plantel em construção, neste mercado de transferências, Nuno Espírito Santo já tem matéria-prima suficiente para construir um esboço do onze-base dos Wolves para a nova época desportiva. Mas vamos por partes. Na baliza, o Wolverhampton deverá contar, quase de certeza, com a presença do titular da Seleção Nacional, Rui Patrício, e o quarteto defensivo deverá ser constituído por Rúben Vinagre, no lado esquerdo, e por Matt Doherty, no lado direito, sendo que a dupla de defesas-centrais deverá ser formada pelo gaulês Willy Boly e pelo inglês Conor Coady. Logo a seguir, na zona do meio-campo, os Wolves deverão atuar com três homens nessa zona nevrálgica do terreno de jogo, sendo que Rúben Neves desempenhará a função de médio-defensivo, enquanto que Morgan Gibbs-White deverá ser o médio interior esquerdo e o marroquino Romain Saiss deverá jogar como médio interior direito. Por fim, na frente de ataque, o Wolverhampton deverá alinhar também com três futebolistas de grande qualidade, sendo que Ivan Cavaleiro e Hélder Costa jogarão pelos flancos, podendo até irem trocando durante os jogos, enquanto que o mexicano Raúl Jiménez, emprestado pelo Benfica, deverá ser o ponta-de-lança de serviço no emblema do Molineux. No que toca ao banco, Nuno Espírito Santo terá uma verdadeira prova de fogo que será orientar esta equipa do Wolverhampton na Premier League, depois de ter dominado a seu bel-prazer, na época passada, o Championship. Na Premier League, o objetivo prioritário de Espírito Santo deverá ser a manutenção e quando esse objetivo for conseguido talvez se possa olhar para a zona europeia, caso haja essa oportunidade. Na época que aí vem todos os olhares estarão em cima do emblema dos Wolves.                  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Vai dar que falar... João Virgínia

Scouting: Jorge Fellipe

Convocatória de Rui Vitória para o Bonfim sem qualquer novidade